E, em Cascais? Como se comporta a epidemia do VIH?
O VIH/SIDA
Em Cascais
E, em Cascais? Como se comporta a epidemia do VIH?

De acordo com os dados do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), reproduzidos do relatório "Cidades na via rápida para acabar com a epidemia VIH*", no que diz respeito à infeção VIH a nível nacional, 52,6% do total acumulado dos casos notificados de infeção VIH em Portugal residiam, à data da notificação, na área metropolitana de Lisboa, que inclui Cascais, e a região norte participa com 24,9% do total dos casos notificados. Circunscrevendo a análise populacional ao nível de cada um dos três municípios, o município de Lisboa representa 4,9%, o município de Cascais representa 2% e o município do Porto representa 2,1% da população nacional e concentram cerca de dois terços do número total de casos notificados no país.

Tabela 1: Novos diagnósticos de infecção por VIH em 2016* - incidência em diferentes níveis geográficos

 

Relativamente à taxa de incidência, o INSA reporta que dos 1030 novos casos de infeção VIH diagnosticados em 2016 – e que cujas notificações chegaram ao INSA até 30 de junho 2017. Ainda de acordo com a tabela 1 e restringindo a Lisboa, Cascais e Porto a avaliação dos 1030 novos casos de infeção VIH diagnosticados em Portugal, no ano de 2016, revela que 51,4% foram diagnosticados na área metropolitana de Lisboa, incluindo Cascais, correspondendo a uma taxa de 18,6/105 habitantes e 14,7% na área metropolitana do Porto, correspondendo a uma taxa de 8,8/105 habitantes. Particularizando a análise ao nível de cada um dos municípios as taxas de novos diagnósticos tornam-se ainda mais expressivas, sendo de 30,5/105 habitantes para o município de Lisboa, 20,9/105 para o município de Cascais e 17,7/105 habitantes para o município do Porto.

Utilizando a incidência média nacional e por concelho para o período 2011-2016, reportada aos casos de infeção VIH notificados até 30 de junho de 2017, para calcular o rácio da taxa de incidência (incidence rate ratio-IRR) por concelho, apura-se que a taxa de incidência média em Lisboa é 3,6 vezes mais elevada do que a incidência média nacional, sendo no Porto, 2 vezes mais elevada e em Cascais 1,8 vezes mais elevada do que a incidência média nacional, como está ilustrado na tabela 3 também retirada do relatório atrás mencionado.

Tabela 3: Portugal (2011-2016). Incidência média de VIH por concelho

 

Relativamente às categorias de transmissão da infeção VIH, o INSA demonstra que embora a transmissão dominante, em Portugal, seja por via heterossexual, como se constata na tabela 2, a avaliação global da informação ofusca algumas discrepâncias locais/regionais sobre a preponderância de algumas categorias de transmissão de VIH que importa realçar. E reporta essa justificação aos dados referentes aos casos com diagnóstico em 2016, encontrando na prática de sexo não protegido entre homens (HSH) a via mais frequente de transmissão de VIH em Lisboa, participando com 65,0% do número total de novos diagnósticos reportados, constatando-se valores igualmente elevados no Porto 55,3%, acompanhando a tendência nacional, não se verificando o mesmo em Cascais, onde a maior proporção de novos diagnósticos no ano em análise se observou em heterossexuais (70,5%), com maior expressão nos homens de naturalidade não portuguesa (25,0%).

Tabela 2: Características dos casos de infecção por VIH com diagnótico em 2016

Partilhar Share to Facebook
Se reside na linha de Cascais, venha fazer o teste para o VIH na SER+

Poderá conhecer o seu estatuto serológico para o VIH, Hepatites B, C e Sífilis, nas instalações da SER+ (em Cascais) ou na nossa Unidade Móvel de Saúde (que circula nos concelhos de Cascais e Oeiras).

O teste é gratuito, anónimo e confidencial, e tem os resultados em 20 minutos.

Na sede da Ser+ os rastreios podem ser realizados às 2.ª, 4.ª e 6.ª feiras de manhã, entre as 9h e as 12h30 e às 5.ª, à tarde, entre as 14h e as 16h30. Sujeito a marcação prévia através do telef. 214 814 130 ou 917 553 488.

Na Unidade Móvel o rastreio é feito sem marcação, por ordem de chegada. Poderá conhecer a rota da Unidade Móvel na nossa página de Facebook ou através do telem. 910 905 974.

Se a sua organização trabalha com populações vulneráveis ao VIH, Hepatites víricas e outras ISTs e, se pretende distribuir preservativos gratuitamente assim como ensinar a utilizá-los correta e consistentemente, contacte-nos!
Centro Anti-discriminação e apoio jurídico.
Legislação e Direitos das Pessoas Infetadas pelo VIH e/ou SIDA - ?O desconhecimento dos direitos e os obstáculos ao acesso aos mecanismos de resposta continuam a dificultar a acção perante práticas discriminatórias e, consequentemente, o seu combate eficaz.?
Novo espaço de atendimento às pessoas que vivem com o VIH. Maior acessibilidade e maior regularidade no acompanhamento psicossocial.
Contas
Plano Estratégico
Estatutos
Donativos
Facebook
© 2018 SER +. Todos os Direitos Reservados.
Design e Desenvolvimento: Vectweb®SM